top of page

PREDIBISA LAUNCHES REPORT, ANALYSIS OF THE OFFICE MARKET IN GRANDE PORTO

For Predibisa, or first quarter of 2020 foi synonymous with crescimento, com or Corporate department to guarantee to place of 10,969 m2 of writing, about 72% gives total area absorbed from início do ano, or that corresponds to um increase in market quota, which was 64% em equal period do ano passado and corresponded to 2,882 m2.





O ano de 2020 iniciou com o mercado de escritórios a registar um momento de forte dinamismo na cidade do PORTO, com uma crescente procura por parte de empresas multinacionais, que olham agora para a cidade com a certeza que encontrarão aqui recursos humanos com o know-how adequado, custos de trabalho competitivos aliados a uma boa qualidade de vida e valores atrativos para aqui investirem. 


De acordo com os dados do OnOffice, novo report publicado mensalmente pela consultora PREDIBISA que analisa o mercado de escritórios do GRANDE PORTO, a atividade no primeiro trimestre do ano, registou uma ocupação total de 15.297 m² na região do PORTO, um valor três vezes superior à procura registada no período homólogo de 2019 (crescimento acima dos 300%). Para a PREDIBISA, o primeiro trimestre de 2020 foi sinónimo de crescimento, com o departamento CORPORATE a garantir a colocação de 10.969 m² de escritórios, cerca de 72% da área total absorvida desde início do ano (o que corresponde a um aumento da quota de mercado, que era de 64% no período homólogo). O total de operações desenvolvidas no PORTO e GRANDE PORTO foram cerca de 13, correspondendo ao mesmo número de transações registadas em igual período do ano anterior. Contudo, a superfície média contratada por transação (levando em consideração o acumulado do trimestre) disparou, passando de 347 m² (2019) para 1.117 m² (2020). Esta variação, decorre da realização de três operações com áreas contratadas acima dos 3.000 m², duas delas mediadas pela PREDIBISA. O maior número de operações verificou-se no Central Business District da Boavista, com metade das transações registadas e 44% da área colocada. Em sentido inverso, a Baixa registou apenas uma transação e 2% da área colocada. Analisando o período homólogo, a zona da Boavista mantêm a pole position em termos de transações registadas e absorção de área. Em termos de absorção por intervalo de área contratada, sete das treze transações registadas são operações com áreas brutas locáveis superiores a 200 m² o que corresponde a 54% do total, e destas sete, três são transações de grande dimensão com áreas superiores a 3.000 m². Apenas quatro operações apresentam áreas contratadas inferiores a 150 m², o que corresponde a 31% do total de transações. A procura, concentrou-se particularmente em empresas ligadas ao sector das TMT’s & Utilities, sendo estas as mais ativas do primeiro trimestre de 2020, celebrando um total de quatro transações (31%), seguindo-se a procura dos “Serviços Empresas” com um total de 23%. Em termos de área de escritório foi o sector “Serviços Empresas” o responsável pela maior percentagem de ocupação (40%), seguindo-se o sector das TMT’s & Utilities com 30% e os “Outros Seviços” com uma quota de 23%. No início do novo ano, o principal fator de motivação das empresas para a procura de novos espaços de escritórios no PORTO, prendeu-se sobretudo com o motivo de expansão de área correspondendo a 46% do take-up. Seguiu-se a instalação de novas marcas na região do PORTO com 28% e a mudança de instalações com 26%, invertendo a tendência verificada no período homólogo onde mais de metade das operações tinham como principal motivação a mudança de instalações.

3 views0 comments
bottom of page